Google+

Redes: Projeto é o primeiro passo para a garantia de qualidade

Faça um comentário »

Considerando que a rede é a veia da informação de uma empresa é natural que o gestor espere nada menos que qualidade, por isso é importante projetar, o que não é muito fácil, e por este motivo, devido à uma necessidade de um cliente, resolvemos relatar um caso de uso – projeto de rede – passo a passo.

Procure saber do cliente que tipo de informação/serviço/função ele vai necessitar nessa rede, como:

- Somente dados, voz, streaming, conexão, impressão;

- Haverá um ou mais servidores?

- Haverá controle de banda/conexão?

- Haverá necessidade de bloqueio de acessos e o quê e como será controlado: Por palavra? Link? Porta de acesso? Setor? Etc;

- Como será a conexão: cabeada? sem fio (wireless)? fibra óptica?

- A conexão de internet será dedicada (link – 100% de garantia de velocidade) ou ADSL (onde a garantia de velocidade é 10% do contrato com a operadora)?

- Algum servidor de dados (Firebird, MySQL, MS SQL Server, Oracle, etc)?

- Quais sistemas serão instalados nos servidores?

- Onde os equipamentos estarão localizados (Servidores, Racks, Backbones, Switches, entre outros)?

Antes de mais nada visite o local e só então procure investigar o que o cliente deseja (que quase sempre é diferente do quê ele quer, o que ele tem em mente e o que você pensa que ele quer e o que será implantado).

A figura abaixo, muito utilizada em Projeto de Software, explica muito bem o problema que um projeto lógico exige.

projeto_software

O ideal é ter o máximo de informações possíveis, de preferência escritas pelo cliente, para que não aconteça que o projeto tenha que ser modificado durante a implantação.

No nosso caso de uso usaremos como base os seguintes itens:

- Planta arquitetônica do prédio (criada no AutoCAD);

- Informações e pesquisa local de como os usuários estão atuando (os atores) no sistema e já sabemos que precisaremos de:

1) Servidor de Dados – que está em uso mas precisa ser melhorado – que guarda as informações administrativas do órgão/empresa;

2) Servidor Samba (Debian 5.0) – que gerencia os compartilhamentos e arquivos;

3) Controle de banda e acessos que trabalha em conjunto com o proxy para impedir o acesso à conteúdos impróprios/proibidos, além de controlar a banda de conexão/navegação (Mikrotik);

4) Servidor de rede (web e firewall (Debian));

Com o projeto arquitetônico em mãos, usaremos o AutoCAD juntamente com o aplicativo DutoTecCAD (que é próprio para implementação de rede lógica, elétrica e de telefonia) para  criar o projeto de rede.

dutoteccad

Em artigos posteriores descreveremos como o projeto será implementado.

O DutoTecCAD para AutoCAD poderá ser baixado (é gratuíto) no site http://www.dutoteccad.com.br/index.html

Existem outros aplicativos que podem ser indicados, como o Microsoft Visio, que você pode inserir o arquivo do AutoCAD (*.dwg) porém o AutoCAD oferece mais recursos – além da escala, mensuração, etc).

Até o próximo artigo…

Analista de Sistemas e Suporte Técnico TI - Pós graduando em Metodologia do Ensino Superior - Fã de tecnologia, sistemas operacionais (Windows e Linux), Quase-Programador Delphi, Aspirante em SEO, Blogueiro e ativo nas redes sociais Google+, Twitter, Facebook e Proprietário e Administrador do ClubedoCHA. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2399116495344293

Faça um comentário »